Telefone

Atendimento 24h (19) 3090-2345

Social

É época de dengue: previna-se!

Com o mundo em alerta pelo Coronavírus, não devemos nos esquecer de uma das principais causas de morte todos os anos, no Brasil: A DENGUE!

Segundo o Centro de Controle de Doenças e a Organização Mundial da Saúde (OMS), a dengue está entre as primeiras 20 doenças que mais matam diariamente no mundo, levando a óbito 20 pessoas por dia. Em 2019, o Brasil registrou o segundo maior número de mortes por dengue em 21 anos, foram 754 mortes. A médica Patrícia Amorin, especialista em Endocrinologia e Metabologia, explica que a luta contra a dengue é longa pois os ovos do mosquito transmissor Aedes Aegypti duram até um ano, podendo eclodir e transmitir a dengue se estiverem em condições favoráveis, como a água parada.

Os principais sintomas são:

Para considerar suspeita de dengue,é necessário apresentar febre e mais um dos sintomas relatados anteriormente. A recomendação é procurar auxílio quando houver suspeita. “Existe o teste rápido para dengue, que é feito de um a três dias, a partir do início dos sintomas e existe o teste de sorologia, que é a partir do sexto dia até sessenta dias depois do sintoma”, explica a doutora Patrícia sobre o atendimento para dengue.

Sorotipos da dengue 

Existem os sorotipos 1, 2, 3 e 4 do vírus da dengue. Ao contaminar-se com um desses, a pessoa se torna imune ao que se infectou, não o pegando novamente. Porém, ainda poderá pegar qualquer um dos outros três. Geralmente, a segunda infecção é mais grave, causando sangramento e sinais de alarme da dengue.  

“Os sinais de alarme da dengue são: dor abdominal muito forte, dor na barriga, náuseas, vômitos, fraqueza, tontura ao levantar (pela queda de pressão), sangramentos nas gengivas, mucosa e nariz”, explica Patrícia, acrescentando que nesses casos a internação é necessária.

Não é permitido, durante a suspeita e tratamento para dengue, ingerir anti-inflamatórios, pois podem predispor sangramentos e hemorragias. É recomendado apenas o uso de analgésicos, como dipirona e paracetamol, além da hidratação com soro caseiro ou hospitalar. “Quando o paciente fica muito desidratado, precisa de cuidado intensivo em UTI”, esclarece a doutora.

Nos postos de saúde, está sendo realizado um acompanhamento diário com as pessoas que possuem sintomas da dengue. A pressão é verificada, a temperatura é medida, os sintomas são anotados e o paciente é encaminhado para outro setor mais apropriado. 

Prevenção diária a dengue

A médica diz que a principal prevenção contra a dengue é eliminar água parada. Em um local com muitos mosquitos e que tenham casos de dengue, é essencial o uso de repelente e de roupas que cubram maior parte do corpo. “O mosquito é um vetor, ele transmite, então se ele picar uma pessoa que tá contaminada, ele vai transmitir o vírus, porque ele pegou da pessoa que tá contaminada e vai passar para outra pessoa”, conclui.

Principais formas de prevenção:

Portanto, mantenha atenção aos sintomas da dengue e faça tudo que for possível para a prevenção.

Conheça mais o Hospital Bom Samaritano