Telefone

Atendimento 24h (19) 3090-2345

Social

Alimentação como forma de manutenção do corpo

Com o Covid-19, as famílias brasileiras devem intensificar o cuidado com a boa alimentação 

Na busca pela integridade física e mental, é necessário se concentrar e adquirir novos hábitos. Nos tempos que em vivemos, não há nada mais importante e oportuno do que compreender que uma boa alimentação é indispensável para ter saúde. 

É recorrente que devido à falta de tempo, as pessoas acabem optando pela comida mais rápida e fácil. Segundo estudos realizados pela EAE Business School, o valor gasto em fast foods por habitantes, em 2014, no Brasil, foi de 265 reais. Na época, a pesquisa previa que esse número aumentasse em 30,88% até 2019. Aumentou, mas, ao mesmo passo, também cresceu a busca nos supermercados por alimentos naturais, livres de agrotóxicos. 

Os hábitos de consumo alimentar nos lares das famílias brasileiras vêm sendo alterada e as circunstâncias podem contribuir para isso. Em entrevista ao Portal Abril (2019), Marcos David Ferreira, engenheiro agrônomo da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), afirmou que “a situação econômica vai influenciar o que as pessoas conseguem consumir. Mas a tendência é de que se busque cada vez mais esse tipo de produto”, conclui o pesquisador. E o momento tem sido propício.

Covid-19 e Alimentação 

Há algumas semanas, tudo estava normal. Trabalho, faculdade, vida social, reuniões, confraternizações. Hoje, o cenário se comporta diferente. Não se avista pessoas na rua, a confraternização não tem data prevista e, quanto mais tempo adiada, melhor. A pandemia do coronavírus (Covid-19) obrigou a maioria das pessoas a ficar em casa, como forma de proteção. Com isso, surge a necessidade de manter a boa alimentação para permanecer saudável durante o surto. 

Considerando tudo que vem acontecendo, quanto mais imunidade, melhor. Segundo a especialista em nutrição clínica e funcional, Ana Paula de Rosse, é preciso cultivar bons hábitos alimentares, em especial neste momento. “É recomendável incluir ao menos duas frutas, comer legumes, carnes e ovos durante o dia, de forma equilibrada. Acredito que a ingestão desses três grupos alimentares, já contribuem para melhorar e prevenir doenças”. 

Não podemos esquecer de alimentos, como chuchu, espinafre, jiló e de outros grupos alimentares. Geralmente, não são bem vistos e comidos. Entretanto, eles possuem sua eficiência no combate à baixa imunidade e inseri-los no dia-a-dia ajuda a cuidar, regular e prevenir doenças. “O mesmo alimento preparado de formas diferentes, pode ajudar. Às vezes, a forma como o mesmo foi apresentado, pode não ter sido das melhores para você. Então, o interessante é comê-lo de outra forma”, explica Ana. Ainda segundo a nutricionista, para ser considerado algo que não gosta, é preciso ter ingerido, ao menos, 10 vezes. 

Comida de verdade 

É importante entender que para cuidar da alimentação como algo que vem da preocupação com a saúde, físico e mental, não basta evitar um determinado grupo de alimentos classificados como o “vilões”. A satisfação em se alimentar deve vir por saber que o ingerido é o menos processado possível e fora da escala dos industrializados. Afinal, ainda segundo a nutricionista, “os alimentos orgânicos servem para a manutenção da saúde. Nada melhor do que o seu alimento, ser também o seu remédio”.

Conheça mais o Hospital Bom Samaritano